Ômega 3 previne infarto do miocárdio!

Esta é a conclusão do estudo VITAL apresentado no Congresso da American Heart Association, um dos maiores congressos da cardiologia realizado agora em novembro/2018, e publicado no mesmo dia da sua apresentação no congresso na conceituada revista médica New England Journal of Medicine.

Neste estudo, 25.871 pessoas, sem problemas cardiovasculares prévios, 51% deles mulheres com mais de 55 anos e 49% homens maiores de 50 anos, foram divididos para tomar 1 grama de ômega 3 ao dia ou placebo (cápsula com aparência igual, mas sem o ômega 3). A média das idades era 67 anos.

O objetivo primário da pesquisa era avaliar o efeito desta dose de ômega 3 na incidência da soma da ocorrência de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e morte de causa cardiovascular, chamamos de eventos cardiovasculares maiores.

Após 5,3 anos de acompanhamento médio, o grupo que tomou ômega 3 teve 386 eventos cardiovasculares maiores e o que não tomou o ômega 3 teve 419, não obtendo significância estatística, apesar de ser número menor de eventos. Porém ao analisar itens isolados deste estudo concluímos que, mesmo doses pequenas de ômega 3, 1 grama, como a utilizada nesta pesquisa, ocorreu redução significativa do número total de infarto do miocárdio (145 contra 200, redução de 28%), do número de angioplastia coronária (162 contra 208, redução de 22%), do número total de doença coronária (308 contra 370, redução de 17%) e do número de morte por infarto do miocárdio (13 contra 26, redução de 50%).

O estudo VITAL sugere que o benefício foi maior nas pessoas que consumiam menos de 1,5 porções de peixes por semana e fizeram a suplementação com 1 grama de ômega 3.

A hipótese que ômega 3 confere proteção coronária é biologicamente plausível. Isto ocorre porque o ômega 3 tem efeito antitrombótico (evita formar coágulos), reduz triglicerídeos, reduz a pressão arterial, tem efeito anti-inflamatórios (a doença coronariana é uma doença inflamatória), impede o crescimento da placa aterosclerótica, diminui frequência cardíaca, reduz suscetibilidade a arritmia e aumenta a produção de óxido nítrico no endotélio (que provoca relaxamento da artéria).

Há pesquisadores que sugerem que o benefício do ômega 3 é maior quando se usa doses maiores, por exemplo, até 6 gramas/dia. Infelizmente o estudo VITAL usou uma dose fixa de apenas 1 grama de ômega 3 por dia, não podendo avaliar se esta hipótese é verdade. Neste estudo também não foi avaliado o grau de inflação destes pacientes no início da pesquisa, por exemplo, através da PCR ultrassensível, para avaliar a redução com o uso do ômega 3.

O estudo VITAL também avaliou a incidência de câncer nestes pacientes e não houve diferença significativa. Também foi avaliado efeito de suplementação de vitamina D, mas sobre isto vou abordar em outro post.

E você tem ingerido peixe regularmente rico em ômega 3? São os peixes de água salgada profunda os mais ricos em ômega 3.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.