Você sabe o que é bioimpedância?

O peso corporal é a soma de diferentes componentes: água corporal, massa magra, massa gorda. Para manter a saúde é essencial garantir uma composição corporal equilibrada.

Há várias maneiras de avaliar quanto temos de peso, massa magra, massa gorda e água corporal. A bioimpedância, principalmente, as mais modernas, é um método onde obtemos estes valores de maneira rápida, barada e segura.

A medida do IMC (índice de massa corporal), baseada só no peso e altura não é um marcador de saúde tão eficaz quanto os dados fornecidos pela bioimpedância. Analisando só o IMC é possível que duas pessoas com o mesmo peso e altura, sendo uma musculosa e outra obesa, sejam classificadas da mesma maneira, porém, sabemos que a pessoa obesa tende a ser menos saudável que a musculosa.

Água Corporal Total:

A água em nosso corpo está no sangue, músculos, gordura, órgãos e dentro de todas as células do corpo. Para analisar tudo isso é importante saber quanto está fora da célula e dentro da célula. As bioimpedâncias modernas conseguem informar quanto de água há em cada compartimento.

Água Extracelular: Aproximadamente 40% da água corporal total; é a água localizada fora das células, incluindo fluido intersticial, plasma e fluido transcelular. A Água Extracelular é importante pois ajuda a controlar o movimento de eletrólitos, permite que o oxigênio chegue nas células e elimina as toxinas produzidas pelos processos metabólicos. Ter água demais fora das células pode ser um indicativo de inflamação e/ou edema no corpo (retenção de líquido).

Água Intracelular. É a água localizada dentro das células. Em uma pessoa saudável corresponde a, aproximadamente, 60% da água total do corpo. Na Água Intracelular é onde ocorrem importantes processos. Apesar de ter muitas funções, uma das mais importantes é permitir que moléculas sejam transportadas para várias organelas dentro das células.

Pessoas musculosas tendem a apresentar aumento da água intracelular. E também da água corporal total.

Já pessoas edemaciadas, por exemplo, por problema cardíaco ou renal tendem a apresentar aumento da água extracelular.

A taxa metabólica de repouso é a quantidade de calorias que queimamos em repouso. É a quantidade básica de calorias que necessitamos para nosso corpo manter suas funções vitais. Com o aumento da massa magra, ocorre um aumento das necessidades energéticas, que resulta em uma taxa metabólica de repouso maior, o que facilita a manutenção do peso ou mesmo a perda de gordura.

O ganho da massa magra através do exercício tem sido associado a melhora na função do sistema imunológico. Isso ajuda nosso corpo a combater doenças mais facilmente, principalmente, agora em época de pandemia.

Pela bioimpedância podemos ter pistas se estamos inflamados.

Quando ocorre a inflamação, o corpo envia um fluxo adicional de sangue para a área afetada. Isso causa um aumento da água extracelular naquela área em particular.

A inflamação ocorre quando uma parte do corpo sofre danos ou ferimentos e é uma reação normal do organismo ao dano. Essa é chamada de inflamação aguda, que provoca um aumento temporário da água extracelular.

A inflamação crônica, todavia, é algo mais sério que não é sempre prontamente detectada. Ela é acompanhada por um duradouro inchaço ou aumento da água extracelular, causado por uma disfunção celular ou estresse. A inflamação crônica pode levar a sérias doenças, como insuficiência renal, câncer e doenças cardíacas, se permitirmos que persista por muito tempo.

Um ótimo indicador da saúde celular é o Ângulo de Fase. Esta informação pode ser obtida nos equipamentos mais modernos, que mostra, o quanto suas células são saudáveis em comparação com pessoas da sua idade, mostrando se sua idade celular é compatível com sua idade cronológica, podendo ser melhor, igual ou pior do que a sua idade cronológica.

É importante conhecer a relação entre a massa muscular esquelética e a massa de gordura. Quanto mais massa muscular em relação com a massa de gordura, mais forte e mais saudável o corpo.

O percentual de gordura corporal normal no homem está entre 10 e 20% e na mulher está entre 18 e 28%. Com este dado é possível identificar com mais precisão se a pessoa está com sobrepeso ou obesidade, e identificar também o “falso magro”.

Prefira fazer a sua bioimpedância no mesmo aparelho ou aparelho com mesma tecnologia, assim fica mais fácil você perceber como você está evoluindo no seu plano de, por exemplo, ganho de massa muscular esquelética e redução da massa gorda.

Consumo de álcool e qualidade do sono

Seu sono é reparador? Você acorda bem disposto, com a sensação de que dormiu o suficiente?

Um sono reparador envolve durante a noite transições entre diversas fases do sono – a I, II, III e a REM (Rapid Eyes Movement) – e perturbações nessas fases podem afetar a qualidade do sono. Um sono de qualidade ruim pode se manifestar como sonolência diurna, cansaço, dor muscular e problemas de memória.

Mas será que o consumo de bebida alcóolica interfere no sono?

Um estudo publicado no JMIR Mental Health mostrou que consumir álcool antes de dormir pode prejudicar em até 40% a percepção de sono reparador. Isso ocorre porque o álcool acelera a passagem das primeiras fases do sono, importantes para o processo como um todo. Segundo o estudo, a ingestão de baixa quantidade de álcool influencia em torno de 10% na qualidade do sono, uma ingestão moderada em 24% e a ingestão de quantidades mais altas em até 40%.

Um outro problema é que o álcool interfere no ADH (Hormônio Antidiurético) levando a despertar durante a noite para ir ao banheiro, além de intensificar problemas como ronco, insônia e apneia. 

Referências:
Acute Effect of Alcohol Intake on Cardiovascular Autonomic Regulation During the First Hours of Sleep in a Large Real-World Sample of Finnish Employees: Observational Study
Pietilä J, Helander E, Korhonen I, Myllymäki T, Kujala UM, Lindholm H
JMIR Ment Health 2018;5(1):e23