Diabetes, dieta e mortalidade

love art texture party

Diabetes problema de saúde pública

O diabetes tipo 2 é um importante problema de saúde pública em todo o mundo e é um fator de risco bem estabelecido para doenças cardiovasculares e câncer, que representam 2 principais causas globais de morte.

A nossa alimentação desempenha um papel importante na nossa saúde. Como também praticar atividade física regularmente e dormir bem.

Dieta ruim, rica em produtos alimentícios, que são produtos industrializados, tem sido responsabilizada como a causa mais comum de morte na população dos EUA.

Portanto, é essencial investigar se há associações entre o que comemos com o resultado na nossa de saúde.

Como?

Assim, uma dieta para prevenção de diabetes tipo 2 foi proposta por Rhee et ai. em 2015.

Nela temos alta ingestão de fibra, ácidos graxos poliinsaturados, café e nozes e baixa ingestão de carboidratos, ácidos graxos trans, carne vermelha e processada, e bebidas açucaradas.

Comparado com outras dietas, por exemplo, a dieta mediterrânea, a dieta de prevenção do diabetes tipo 2 foi desenvolvida, principalmente, para facilitar a prevenção do diabetes.

Assim ela incluiu alguns alimentos que não fazem parte de outras dietas, por exemplo, café e alimentos com baixo índice glicêmico.

Além disso, seguindo esta dieta para prevenção do diabetes tipo 2 podemos melhorar a sensibilidade à insulina e reduzir os níveis de inflamação, que é a principal causa da maioria das doenças crônicas.

Recentemente, a dieta para prevenção de diabetes foi associada com menor risco de carcinoma hepatocelular, câncer de mama e câncer de pâncreas.

Este estudo avaliou se a adesão à dieta de prevenção do diabetes tipo 2 estava
associada à mortalidade por todas as causas e por causas específicas na população dos EUA.

População estudada

Os dados desta pesquisa foram coletados de um estudo para rastreamento de neoplasia de próstata, de pulmão, câncer colorretal e ovário (PLCO trial, sigla em inglês).

Em resumo, entre novembro de 1993 e setembro de 2001, indivíduos de 55 a 74 anos foram convidados a participar desta pesquisa.

Um total de 154.887 pessoas estavam qualificadas para participar da pesquisa. Mas após exclusão inicial sobraram 86.633 participantes.

As pessoas do grupo de intervenção receberam exames de triagem enquanto os do grupo controle receberam cuidados usuais.

O motivo da exclusão de participantes com histórico de câncer, acidente vascular cerebral, ataque cardíaco ou diabetes na avaliação inicial foi que a mudança da dieta após esses diagnósticos poderia atrapalhar a análise dos resultados com a dieta para prevenção de diabetes.

Assim, foi criado um escore para avaliar a qualidade da adesão à dieta. Os participantes foram analisados em 5 grupos, sendo o quinto os que seguiam melhor a dieta para prevenção de diabetes de acordo com a sua composição.

A alimentação foi avaliada através de um questionário padronizado com 137 itens para avaliar seu padrão alimentar anual. Será que você consegue lembrar o que comeu no último ano? Eu já esqueci o que comi semana passada…

Resultados deste estudo

Os participantes com melhores escores na dieta de prevenção de diabetes tendiam a consumir mais suplementos vitamínicos, tinham maior escolaridade, fumavam menos e tinham menos hipertensão arterial.

Tinham também menor IMC, que é o peso dividido pela altura duas vezes, menor consumo de calorias na dieta e praticavam mais atividade física. Ou seja, tinham um estilo de vida mais saudável!

Além disso, sua alimentação tendia a ter menor índice glicêmico, menor ingestão de gorduras trans, menos bebidas açucaradas (refrigerante e sucos de caixinha) e carne processada.

Tinham uma quantidade maior de fibras, nozes, café, frutas e legumes.

Dieta para diabetes e mortalidade

Durante o estudo foi observado um total de 17.532 óbitos por todas as causas. Sendo 4.809 (27,4%) de doenças cardiovasculares e 5.719 (32,6%) de câncer.

O acompanhamento médio foi de 13,6 (desvio padrão, 3,2) anos.

Comparando os participantes com maiores pontuação no escore com os de menores pontuação, os maiores tinham risco de morte geral 24% menor, morte cardiovascular 27% menor, e morte por câncer 15% menor.

No grupo que consumiu mais fibras, castanhas e café a mortalidade foi menor também.

Já no grupo que consumiu mais bebidas açucaradas o risco de morte por todas as causas foi maior, quando comparado com o grupo que consumiu menos.

Consumo de carne vermelha e processada não mostrou relação significativa cm mortalidade.

Comentário dos autores do estudo

Neste grande estudo multicêntrico prospectivo com média de acompanhamento de até 13,6 anos, foi descoberto que uma maior adesão a uma dieta de prevenção do diabetes tipo 2, está associado com menores riscos de morte por todas as causas, doenças cardiovasculares e câncer.

Por exemplo, a dieta DASH, focada em reduzir hipertensão arterial, e a dieta padrão mediterrâneo já demonstraram reduzir o risco de mortalidade por todas as causas.

Ao analisar dados do PLCO Cancer Screening Trial, constatou-se a importância da dieta de prevenção do diabetes tipo 2 na redução do risco de mortalidade.

Este estudo mostrou que o aumento da ingestão de fibra, ácidos graxos poliinsaturados, café e nozes, e a redução da ingestão de carboidratos, ácidos graxos trans, carne vermelha processada e bebidas açucaradas podem melhorar a longevidade.

Os achados deste estudo sugerem que a adesão a uma dieta de prevenção do diabetes pode servir como uma estratégia atraente para melhorar a longevidade.

Conhece alguém que está em dúvida sobre seguir uma dieta saudável?

Comente aqui nos comentários!

,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: